A Assembleia Extraordinária convocada pelo SINDJUD PE definiu uma pauta com as questões pendentes de 2019 e para preparar a categoria para lutar por melhoria salarial e de segurança e trabalho.

A Assembleia foi extremamente participativa, com o auditório tomado pelos servidores.

Na abertura da assembleia os diretores e diretoras fizeram falas relacionadas com o escândalo do TJ-PE, no pagamento de somas astronômicas relativo as “férias vencidas” e outros “ajustes” bem mal definidos nas publicações oficiais, enquanto isso, o Tribunal vem negando sistematicamente reajuste, reformas e melhorias dos espaços de trabalho. A título de exemplo, o custo anual com a extensão do auxílio saúde aos aposentados custaria hoje pouco mais de 1 milhão de reais. Enquanto que apenas uma magistrada recebeu esse montante com o retroativo das férias.

Frente a este escândalo o sindicato fez nota pública e entrou com uma representação junto ao CNJ cobrando explicações com relação a legalidade e legitimidade, e, ao mesmo tempo, que sejam concedida medidas liminares suspendendo essa decisão.

A assembleia contou com servidores das mais variadas regiões, como Serra Talhada, Bezerros, Caruaru, Recife, Olinda e Paulista, bem como de servidores aposentados e em regime de teletrabalho. Iniciado o debate vários colegas se posicionaram firmemente contra as desigualdades, injustiças e o mau uso do dinheiro público por parte do TJPE.

De acordo com Mariana Figueroa, vice-presidente do SINDJUD-PE: “O sindicato não luta apenas por melhorias salariais, mas para melhorar as condições de trabalho, para garantir mais saúde e desenvolvimento da pessoa em sua formação e qualidade de vida”.

No final, num clima de indignação pelo “mal feito” do TJ-PE nesta farra com o dinheiro público, foi sendo transformado num ambiente de solidariedade e fraternidade pela luta, pelo desejo de unidade da categoria, um grito ecoou na sala “temos fome de que? De justiça”, outro grito “Só a luta muda a vida”e logo depois foram colocados em votação as seguintes propostas:

  • Próxima Assembleia Geral Extraordinária em 17 de janeiro de 2020 – No Tribunal Rodolfo Aureliano, para discutir as pautas reivindicatórias pendentes de 2019/2020, com indicativo de paralisação;
  • Nesse mesmo dia, servidores em todo estado irão se mobilizar vestindo-se de preto, em sinal de protesto, e registrarem fotos em frente aos fóruns com material que o sindicato irá disponibilizar;
  • Para o esquente do dia 17 de janeiro o SINDJUD-PE passará nas unidades de trabalho mobilizando, bem como organizará formas alternativas de mobilização, a exemplo de Maracatu, teatro e outras linguagens para refletir sobre as lutas e reivindicações dos servidores;
  • Produzir o “documento político” sobre Democracia no Judiciário e construção do Orçamento Participativo;
  • Assembleias Itinerantes em todas as regiões do estado na construção de pautas para 2020 e 2021, entre janeiro a abril de 2020.

Logo depois de lida as propostas, foram submetidas à votação, sendo por unanimidade.

Só a luta muda a vida, só a luta gera conquistas! Não podemos aceitar calados que o TJPE não feche a negociação de 2019, argumente que não há recursos, enquanto gasta milhões em verbas indenizatórias estratosféricas com os magistrados. Dinheiro tem e precisa ser melhor distribuido!

SINDJUD-PE

Gestão Fortalecer e Avançar!