No último dia 05/12/2019, a atual gestão do SINDJUD-PE enviou o diretor Marcus Pereira, junto com o Engenheiro, Mestre e PhD em Engenharia Civil, Antônio Augusto Costa de Azevedo (CONFEA/CREA 180786403-0), para realizar inspeção particular no Fórum Dr. Ezequiel de Barros (Fórum da Comarca de Escada), após novos relatos de “estalos” na estrutura ouvidos pelos servidores.

A vistoria foi realizada com a autorização do juiz diretor do fórum, Dr. Cláudio Américo de Miranda Junior, e foi acompanhada de perto pelos servidores da comarca, bem como pelo juiz de direito Emiliano César Costa Galvão de França.

Durante toda a manhã, o Engenheiro Civil realizou análise da estrutura por meio de equipamento especial (câmera termográfica), além da inspeção visual e escavação de partes do prédio, a fim de detectar a origem dos problemas (fissuras e infiltrações).

O resultado de toda análise foi colocado em um Laudo Técnico de Inspeção (acesse seu conteúdo aqui), por meio do qual se concluiu que a estrutura do prédio, de forma geral, se encontra estável, porém existem diversos problemas a serem sanados pelo Tribunal de Justiça, destacando-se entre eles a infiltração existente na marquise do prédio (a qual pode causar o colapso dessa estrutura, se não for corrigida), o vazamento existente no reservatório inferior, instalação de vergas e contra vergas e correção das fissuras por meio de reforços na alvenaria.

O SINDJUD-PE agradece a disponibilidade imediata, a atenção dispensada e o trabalho executado pelo Engenheiro, Mestre e PhD em Engenharia Civil, Antônio Augusto Costa de Azevedo (CONFEA/CREA 180786403-0), bem como o empenho do servidor Thiago Silva nas intermediações e encaminhamentos necessários para o trabalho.

A direção do sindicato já encaminhou cópia do laudo para os servidores da Comarca de Escada a fim de que estes tomem conhecimento de seu conteúdo, bem como sejam tranquilizados, ainda que em parte, quanto à preocupação coletiva de colapso do prédio.

Por fim, a gestão Fortalecer e Avançar deixa claro que não poupará esforços para garantir que as obras de correção da estrutura sejam realizadas, conforme orientação do Engenheiro Civil, em atenção aos colegas que exercem suas funções no local.