Os Servidores da Justiça do Estado de Pernambuco entenderam que, diante da situação absurda e demorada que o TJPE vem conduzindo as negociações, é chegado o momento de paralisar as atividades três vezes por semana (terça, quarta e quinta-feira). Após duas semanas de paralisações integrais, na tarde desta terça – feira (28), no Hall Monumental do Fórum Rodolfo Aureliano, aconteceu uma nova Assembleia com o intuito de avaliar os efeitos das paralisações e de propor novas estratégias da Campanha Salarial 2018.

O Secretário Geral do SINDJUD PE – Alexandre Nunes abriu os trabalhos agradecendo a presença de todos, exaltando a importância de que a categoria se mantenha unida e coesa diante desse momento delicado.

Aproveitando o ensejo o Presidente da ASPJ – Roberto Santos, que sempre comparece às Assembleias da categoria, se colocou inteiramente à disposição para contribuir com o movimento, apontou que foi publicada uma portaria que possibilita a utilização dos Depósitos Judiciais e que isto poderia ser uma “possibilidade” a mais nas tratativas com o TJPE. Frisou que não existe nada concreto, como também reforçou que todos devem manter-se mobilizados e unidos nesta luta de todos.

Em seguida, foi dada a palavra ao Presidente do Sindicato – Michel Domingos, pelo qual reafirmou que as paralisações têm surtido efeito e que alguns órgãos já cobraram uma solução ao TJPE o mais rápido possível. Afirmou entender que o movimento necessita sair de dentro das unidades, fóruns e comarcas para chegar até o governo do estado. Segundo Michel, o SINDJUD PE se mantém alerta e é completamente compreensível que os Servidores estejam ansiosos pela falta de resposta da instituição. Continuou dizendo que, neste momento, o movimento precisa manter-se coeso, visível e que toda ansiedade deve ser transformada em indignação para o fortalecimento da luta.

As inscrições fora abertas para as falas e alguns inscritos fizeram questão de se posicionarem deixando bem claro que não irão se calar diante do Tribunal, e que, se o mesmo “não abre mão de convocar os aprovados no último concurso seja magistrado ou servidor” os atuais Servidores não irão abrir mão das Perdas Inflacionárias incluindo o reajuste salarial deste ano.

As demais falas seguiram-se no intuito de reforçar o engajamento na luta, a conscientização de mobilização nos espaços de trabalho e que dia de paralisação resume-se em impulsionar apenas as urgências. A categoria deixou claro que irá enfrentar os olhares e as críticas de maneira não subversiva e sim de maneira elevada, porque o errado não são os Servidores que buscam seus direitos e sim o TJPE que não vem cumprindo suas obrigações legais perante os Serventuários.

Após as votações, restaram aprovadas as seguintes propostas:

1- Ato Público com caminhada até o palácio do governo, iniciando em frente ao Fórum Paula Baptista na próxima terça-feira (04/09) às 13h;

2- Manter as paralisações desta semana conforme a deliberação da última assembleia realizada no dia 09/08;

3- Ampliar as paralisações, à partir da próxima semana, para três dias, sempre às terças, quartas e quintas-feiras, iniciando-se no dia 04/09 até que o TJPE apresente uma proposta concreta sobre as perdas inflacionárias já acumuladas em 28,86%;

4- Estado de greve para deliberação sobre o indicativo desta na próxima assembleia que será realizada no dia 13/09;

5- Convocar AGE – Assembleia Geral Extraordinária, a qualquer tempo, para deliberar acerca de qualquer proposta concreta relativa aos pleitos da categoria por parte do TJPE;

6- Manter a produtividade em níveis mínimos nos dias em que não houver paralisação como forma de protesto pela política de desvalorização do TJPE para com os Servidores;

7- Dar ampla divulgação do movimento em mídias e, se necessário for, utilizar espaços pagos;

8- Oficiar ao Sindojus PE sobre adesão ao movimento.

A assembleia desta terça – feira (28) contou com a participação de Servidores da capital e do interior e por isto o SINDJUD PE agradece, mais uma vez, a presença de todos.